quarta-feira, 1 de maio de 2013

A visão da psicanálise sobre os sonhos

Hoje vamos dialogar sobre a visão da psicanálise acerca dos sonhos: tema crucial para o desenvolvimento da teoria psicanalitica.

Como já dizia o pai da psicanálise, Freud: "o sonho é a via regia para o inconsciente". Pois enquanto dormimos nossas defesas psíquicas, responsáveis por nos "proteger" das representações incompatíveis com o ego, baixam a guarda. Dessa forma, através dos sonhos podemos entrar diretamente em contato com o material inconsciente, realizando um desejo reprimido.

Os sonhos são formados por restos diurnos (estado de vigília) e por conteúdos inconscientes. Importante saber que existe o conteúdo latente do sonho e o conteúdo manifesto. O conteúdo manifesto é aquela parte do sonho ao qual lembramos quando acordamos. Já o conteúdo latente é o sonho em si de forma integral ao qual só teremos acesso após o sonho ser decifrado. A partir da interpretação do sonho poderemos através do conteúdo manifesto chegar ao material latente.

Vale ressaltar que a formação dos sonhos vem acompanhada de mecanismos responsáveis por dissimular a realização do desejo de forma tal que este não apareça no conteúdo manifesto.
Os mecanismos são: 

1) Condensação: este mecanismo une em um único elemento vários outros elementos (imagens, pensamentos, etc...)

2) Deslocamento: substitui pensamentos mais significativos por outros que sejam mais toleráveis ao ego.

3) Procedimento de representabilidade ou figurabilidade: mecanismo do sonho responsável por transformar pensamentos em imagens.

4) Dramatização: transformação do pensamento em uma ação.

5) Elaboração secundária: responsável pela formação do conteúdo manifesto, quando acordamos e tentamos tornar coerente e inteligível o conteúdo onírico.

Importante mencionar que a função fundamental do sonho, além da realização do desejo, seria a função orgânica de manter o sono. Tais mecanismos citados acima são utilizados justamente para assegurar a nossa tranqüilidade durante o sono, já que se o mesmo viesse "nu e cru", o descanso do corpo e da mente seria praticamente impossível. 

O analista possui a tarefa de auxiliar a interpretação do conteúdo latente e transformá-lo em manifesto através das associações que o próprio sonhador, o paciente, leva para a sessão.

2 comentários:

Raquel disse...

Legal! Todo sonho tem sempre uma interpretação? Eles sempre indicam a realização de um desejo? Queria que explicasse mais o mecanismo de condensação.

Grande abraço.

Renata Santiago disse...

Por trás do conteúdo manifesto do sonho, que é aquele conteúdo que é lembrado por nós, sempre há um conteúdo latente a ser interpretado. Como foi dito, o sonho é formado por restos diurnos mais material inconsciente. E estes materiais inconscientes seriam representações de desejos infantis, normalmente ligados a ideias incestuosas infantis, às quais não são tolerados por nosso ego, devido a isto que a formação do sonho vem disfarçada para que seja possível a realização do desejo. Quando há uma falha do disfarce, aquele material nos traz extremo incômodo dando origem a um pesadelo o que nos faz despertar.
Você também perguntou sobre o mecanismo da condensação. Durante o sonho pode aparecer uma pessoa que pode trazer características de mais de uma pessoa de sua vida. Como exemplo você pode sonhar com o seu marido, porém este poderá ter características de outras pessoas de sua vida (seu marido vir carregado de características de seus irmãos e seus pais).