sexta-feira, 10 de agosto de 2012

"Vidas diferentes, estilos diferentes."

"A pessoa que se veste com estilo diferente a cada vez transmite uma imagem insegura." Voces concordam com essa afirmação?! Há tempos venho questionando tal pensamento que me foi apresentado no início de meus estudos sobre moda, imagem e estilo. 

Em geral, a moda que, muito além do vestuário, ronda todos os âmbitos da nossa existência e está relacionada com os novos modos, maneiras e novidades, acaba sempre descaracterizando o que de primeira mão deveria caracterizar. A roupa, como a comunicação não-verbal visível e poderosa que é, representa apenas a esfera gritante de um processo helicoidal que visa mais do que tudo a expressão de um indivíduo que precisa de respostas para seus anseios interiores. 

Para Glória Kalil: "Chic é a pessoa que faz o melhor depoimento sobre sua identidade, e apresenta seu estilo de maneira mais refinada, mais apurada, mais clara. Ela é chic quando interioriza todas as regras do bem-vestir e do conviver, de maneira natural, sem esforços e sem sobressaltos. Sabe usar um básico de forma criativa. Tudo que faz e veste se parece com ela e com sua vida. Por isso é chic. Às vezes por extrema simplicidade. Outras, pelo requinte e sofisticação".

O personal stylist nada mais é do que um consultor pessoal de estilo que tem como objetivo principal controlar a mensagem que tal indivíduo deseja transmitir com a aparência. Ele deve ser capaz de orientar baseado em todos os pilares (personalidade, lifestyle, biotipo, cores..), mas jamais impor. Ele deve ser sensível, gostar muito de diversidade e acima de tudo, respeitar que cada pessoa é única e inesgotável. Não é à toa que bato na tecla da análise psicológica: nada faz mais sentido para um consultor que trabalha com imagem do que conhecer e analisar os valores da pessoa que está trabalhando. 

E são justamente tais valores (mais até do que o tipo do seu corpo ou tom de pele) que nortearão a descoberta da necessidade de estilo que cada cliente possui. Isso porque a moda é plural: repleta de infinitas e mágicas possibilidades. Sua lógica (se usada corretamente) facilita a expressão de nossa subjetividade. Oferece liberdade e não escravidão. 

E é no quesito da liberdade que entra o questionamento que deu origem ao post de hoje. O personal stylist lida com o ego, com a ideia que temos de nós mesmos. E com tal esfera psicológica, todo cuidado é pouco. O interessante é justamente saber procurar tal estilo pessoal, que na minha opinião enquanto profissional, deve funcionar como uma extensão do que somos na vida real (clica aqui para ler mais sobre esse assunto).

E esse é o dever básico do personal stylist: descobrir baseado em técnicas subjetivas e objetivas onde está escondido o tesouro que decifrará essa vida, esse estilo. E é claro que ninguém é quadrado, fácil e de simples compreensão. Cada pessoa possui uma rica história de vida que possibilita escolhas fundamentais como profissão, local onde mora, hobby.. Transitamos entre diferentes gostos, cores, amores.. mas via de regra, sempre possuímos um estilo predominante, dominante. E ele quem vai equilibrar todo o resto da brincadeira. 

Vidas diferentes, estilos diferentes.. pelo menos assim deveria ser.


Ficou curiosa para conhecer mais sobre esse assunto tão interessante?! Vem fazer parte da 2ª turma do curso de Consultoria de Imagem que vai começar agora no final de Agosto. :)
Data: 27, 28, 29 de Agosto e 03, 04 e 05 de Setembro 
Local: Torre Office do Complexo Empresarial São Mateus. 
Informações: (85) 9958.0115 e 3055.4700

Nenhum comentário: