segunda-feira, 4 de junho de 2012

Moda e Comunicação


 (Imagem: Digital Art de Mike Harrison)

Observo que a moda se apresenta como um dos grandes negócios do mundo moderno, abrangendo diversas áreas além de se constituir como uma atividade de caráter versátil que pode ser utilizada como um agente de transformação individual e social. 

Trata-se de um fenômeno social. Através da moda podemos analisar diversos aspectos de uma cultura. Vale ressaltar que ela atua como elemento de autoconhecimento para os consumidores, pois as pessoas se expressam através de produtos de moda. Tentativa ambígua de ser aceito, reconhecido e ao mesmo tempo diferenciado. Não é fascinante?

Dentro desse cenário, a moda é acompanhada de efeitos ambíguos, seguindo a lógica da inconstância e ao mesmo tempo, agindo na expressão da individualidade. Assim, defendo que a tarefa do profissional de moda seja trabalhar a fim de aumentar a sua inclinação “esclarecida” no processo de socialização dos homens já que a moda encontra-se no comando das sociedades:

A moda não cessa de acelerar sua legislação fugidia, de invadir novas esferas, de arrebatar em sua órbita todas as camadas sociais, todos os grupos de idade, deixa impassíveis aqueles que têm vocação de elucidar as forças e o funcionamento das sociedades modernas (LIPOVETSKY, 1989, p. 9).


 (Imagem: Digital Art de Cristiano Siqueira)

Definir moda com palavras é tarefa complexa. Teóricos afirmam que ela nasce com o final da Idade Média no séc. XV. Já a denominação de estilista teria surgido com Maria Antonieta e Rose Bertin, responsável pelo seu guarda-roupa inspirador. Área interdisciplinar que levanta discussões entre psicólogos, sociólogos, historiadores, poetas, publicitários, jornalistas, economistas, administradores e etc.. Uso, costume, hábito? O escritor Oscar Wilde definiu moda como: “Uma forma de feiúra tão intolerável que temos de alterá-la a cada seis meses.E você? Como a define?


A verdade é que dos muitos símbolos e expressões, a roupa é uma das mais importantes linguagens não verbalizadas do eu. Através das escolhas que fazemos, podemos comunicar para os outros, a percepção que temos de nós mesmos e isso demanda integração social mediante o que é culturalmente aceito. Sendo a moda constituída por ser um símbolo na essência, parece certo afirmar que nela se aplica perfeitamente transferência de significados, visando a comunicação integrante de sociedades, onde tudo comunica. Sendo assim, o vestuário nada mais é do que comunicação.

Nenhum comentário: