quinta-feira, 3 de maio de 2012

Há casamentos e casamentos




Acho bobeira essa mania de a gente achar que toda noiva tem de ser neurótica, estressada e viver na correria pesquisando tudo para que o grande dia seja perfeito. A verdade é que nunca vai ser. Sempre vai ter aquela tia que atrasa, aquele erro grotesco do padre ou aquele detalhe que não bateu com o seu planejamento.



Acredito que a tal cerimônia de casamento é demasiadamente valorizada, enraizada de expectativas, cobranças e frustrações. Tem de ter isso, tem de ter aquilo. E no meio de tantos acertos, me pergunto se isso realmente é o essencial, é o imprescindível. Claro que não, com certeza não. O fundamental mesmo é quando a gente sente, mesmo de longe, a simplicidade, a cumplicidade entre os noivos: protagonistas do grande momento.

Para mim, casamento bom é aquele que conta uma história. Uma história que a gente pode até não compreender, mas que no fundo a gente sente o clima e embarca na mesma viagem. Uma espécie de momento metamorfose em que todos parecem viver na mesma vibe por meia hora que seja. Melhor ainda se a gente até esquecer do tempo.

Tudo isso para dizer que desejo toda a felicidade do mundo para a admirável Cris Guerra, blogueira da Hoje vou Assim. Complexa e profunda, Cris já me passou tanto sentimento bom mesmo de longe. Quem conhece um pouquinho da sua história deve entender o que eu estou falando.

Cris é daquelas mulheres guerreiras que enfrenta a dor com arte, que sublima a vida com uma boa dose de alegria. E isso de alguma maneira me contagia. Uma das maravilhas dessa teia cibernética que os blogs tecem: a gente acaba se identificando com alguém que fisicamente está tão longe mas que ao mesmo tempo parece viver tão pertinho de você. Assim ela é para mim: uma amiga, uma irmã, uma confidente. Que Cris seja para sempre feliz. Fim.







Um comentário:

Diana Santiago disse...

Amei! Simples assim! Bjuuusss