segunda-feira, 7 de maio de 2012

Dica de livro: TREM-BALA



Quem já leu Martha Medeiros sabe o quanto é gostoso dedicar o nosso tempo para as suas crônicas e poesias. Trem-bala, reúne mais de 100 textos (bem curtos) da autora, conhecida por seu estilo direto, carismático, leve e ao mesmo tempo super profundo. Ela sabe muito bem como se comunicar com as mulheres. O livro é naquele estilo pocket que cabe na nossa bolsa e funciona como uma companhia agradável para os momentos em que se tem de esperar entre um compromisso e outro durante o dia a dia.

Essa passagem é uma das preferidas:

"Ser boazinha não tem nada a ver com ser generosa. Ser boa é bom, ser boazinha é péssimo. As boazinhas não têm defeitos. Não tem atitude. Conformam-se com a coadjuvância. Ph neutro. Ser chamada de boazinha, mesmo com a melhor das intenções, é o pior dos desaforos.

Mulheres bacanas, complicadas, batalhadoras, persistentes, ciumentas, apressadas, é isso que somos hoje. Merecemos adjetivos velozes, produtivos, enigmáticos. As inhas não moram mais aqui. Foram para o espaço, sozinhas." (As boazinhas que me perdoem)

2 comentários:

Diana Santiago disse...

Né que me identifiquei com esse texto!! As boazinhas já eram!! Sou uma pessoa boa, ótima até! Mas boazinha... Fala sério!!! KKK

Renata Santiago disse...

Boazinhaa nuncaa! hehehe!

Adoreii