domingo, 26 de fevereiro de 2012

Dica de livro: A moda e seu papel social





A escolha do vestuário propicia um excelente campo para estudar como as pessoas interpretam determinada forma de cultura para seu próprio uso, forma essa que inclui normas rigorosas sobre a aparência que se considera apropriada num determinado período (o que é conhecido como moda), bem como uma variedade de alternativas extraordinariamente ricas. (CRANE, 2006, p.21)

 A moda e seu papel social (classe, gênero e identidade das roupas) de Diane Crane foi o terceiro precioso livro que adquiri quando comecei a estudar moda. Funciona como um verdadeiro guia de pesquisa sobre assuntos diversos. Sabe aquele tipo de livro que você não consegue ler apenas uma vez?! A autora aborda identidade, democratização, mudanças sociais relacionadas com a indumentária. Fala de vestuário da classe operária e experiência de classe social no século XIX. Fala sobre o vestuário feminino como resistência não-verbal assim como as imagens de moda e a luta pela identidade feminina. 

Para Crane, as roupas podem ser vistas como um vasto reservatório de significados, passíveis de serem manipulados ou reconstruídos com o objetivo de acentuar o senso pessoal de influência: “As roupas, como artefatos, criam comportamentos por sua capacidade de impor identidades sociais latentes”. Segundo a autora, os indivíduos mudam de um estilo para outro à medida que a visibilidade de determinados estilos de vida muda. 

Foi um dos livros que mais utilizei como referência para escrever a monografia e o TCC de produto. Separei algumas citações interessantes para vocês: 

A motivação do consumidor para adotar um estilo baseia-se em sua identificação com grupos sociais através dos bens de consumo, e não no medo de ser penalizado pela não-conformidade. Modelos de comportamento são extraídos da cultura de mídia, a saber: astros da televisão, da música popular, do cinema e dos esportes (CRANE, 2006, p.43)


Ao tratar do consumo nas culturas pós-modernas, Crane (2006, p.39) afirma que “o consumo é tido como forma de desempenhar papéis, na medida em que os consumidores buscam projetar concepções de identidade que estão constantemente evoluindo”. Sendo assim, definir os diferentes tipos de consumidor em sociedades contemporâneas torna-se uma tarefa complexa. 

Nota-se que os consumidores mais jovens e ricos são os mais preocupados com a apresentação e manipulação de sua identidade (CRANE, 2006). Ou seja, eles se utilizam do ato de consumir como uma maneira de expressar sua imagem. Nesse contexto, observa-se que “a preocupação com a identidade pessoal é um modo de se adaptar a novas formas de desorganização social e cultural” (idem, 2006, p.43).

Já sobre a mídia Crane (2006, p.269) desenvolve o seguinte raciocínio: “O desenvolvimento de uma mídia eletrônica poderosa, de grande penetração e imagens pós-modernas, mudou a difusão da moda e redefiniu a questão de sua democratização”. A moda nesse sentido atua como um diálogo, um processo de criação de imagens em que podemos nos identificar e interpretar o mundo ao nosso redor. 

E aí? Vocês já conheciam o livro? Curtiram dica? ;)







Um comentário:

Carolina Vaz disse...

Adorei o post!
Achei bastante informativo e bem objetivo, inclusive ajudou na bibliografia do TCC!
Parabéns pelo blog :D