sexta-feira, 14 de outubro de 2011

14 de outubro de 2011



Chegamos a mais um 14 de outubro. E do último para cá, como vivi e como pedi (em alguns momentos implorei) por sua proteção. Senti a maior angústia e desespero da minha vida: o medo de perder o maior presente que você colocou para mim, ele. Quero dizer que ainda acredito que você me escuta e orienta o caminho que venho traçando. E mais ainda, que ninguém nunca no mundo estará preparado para perder um pai, uma mãe, um filho, um marido. Não acho mais que o tempo cura tudo, ele no mínimo ameniza a situação, provoca esquecimento. Ganhei mais cicatrizes desde o último ano e uma aliança linda na mão esquerda. Não tenho dúvidas que colhemos fielmente o que plantamos. Tenho medo do que não posso controlar, mas finalmente assumi que não tenho o controle. Uma coisa mudou, a saudade não é mais tão idealizada.. Será que é por que eu casei pai? Virei uma mulher de família com todos os seus direitos e deveres. Você curtiu? Espero que sim. O trabalho vai bem, a saúde idem. Fortaleza está uma loucura, o trânsito um caos. Hoje dirigi cerca de 70 km. O sushi já está comprado e prometo abrir apenas uma cerveja em sua homenagem. O núcleo continua unido, embora passando por turbulências fortes e individuais nos últimos meses.Olha por ela, olha por ele. Eu continuo sonhando aquele sonho de viver das próprias ideias. Estou errando, acertando, aprendendo, como tem de ser.


Eu fico por aqui e você.. aonde quer que esteja, esteja sempre com a gente!

2 comentários:

Gabriel Sousa disse...

Sempre que você posta algo pro seu pai, eu lembro do meu. E você sabe como o meu é. Hoje sei o real motivo dele não falar comigo: ele tem vergonha de mim por pensar que sou gay.
Então n]ao tem como não chorar vendo esse post. Eu, me perdoe o que vou falar agora, queria um pai como o seu. Que com certeza te amou de verdade. E como falei no último post dedicado a ele: Não se preocupa que onde quer que ele esteja, ele olha por ti.

Parabéns por ser essa filha linda, que orgulha sua família!!

te adoro diva!

Gabriel Sousa disse...

Sempre que você posta algo pro seu pai, eu lembro do meu. E você sabe como o meu é. Hoje sei o real motivo dele não falar comigo: ele tem vergonha de mim por pensar que sou gay.
Então n]ao tem como não chorar vendo esse post. Eu, me perdoe o que vou falar agora, queria um pai como o seu. Que com certeza te amou de verdade. E como falei no último post dedicado a ele: Não se preocupa que onde quer que ele esteja, ele olha por ti.

Parabéns por ser essa filha linda, que orgulha sua família!!

te adoro diva!