domingo, 28 de agosto de 2011

E quem te conhece?





Fico feliz de ouvir o meu corpo falar alto.. assim como acontece com os vampiros mitológicos ou com as lobas de natureza selvagem. Fico feliz de sentir o tal imprinting e acreditar nas histórias sobrenaturais que eu leio por aí ou até mesma invento e acabo tendo a confirmação dos céus para tal devaneio visto como dramático pelos demais. Se é original eu não sei (como disse D2), mas sim é meu.  Fico feliz de sentir palpitações sem sentido e depois sacar a explicação para tal. Fico feliz de sentir arrepios quando vou em busca de algo que tanto quero. Fico feliz até de não conseguir me contentar com a neutralidade. Ignorar não é para mim, gosto de sangue no olho e coragem para admitir as sinceridades e verdades de cada um. Tenho impulso, tenho desejo e graças aos aprendizados tenho tido o mais importante: respeito. Já dizia Darwin: “Não há diferenças fundamentais entre o homem e os animais nas suas faculdades mentais." E quanto aos demais, venho teorizando sobre os seres humanos derivados do touro Ferdinando que perdem as estribeiras ao serem incomodados por abelhas polinizadoras. E tem também a deusa-vaca: aparentemente tão segura de si, mas tão mal amada. O tipo possessivo de animal que precisa de mimos e de poder para se satisfazer por completo. Ela gosta de ser o centro das atenções, de parar o trânsito.. mas não consegue por completo, porque a sua beleza é superficialmente pueril demais para satisfazer até mesmo o seu próprio ego. Querer ser dono(a). "É meu, é meu, É MEU".  Mas não consegue o ter por tanto tempo. Como não compreender a mudanças de ideias? Como não entender que todos somos seres influenciáveis e influenciadores dentro dessa teia gosmenta que é a vida? Temperamento forte? Eu diria doloroso. Personalidade? Eu diria endurecimento. Fidelidade? Eu diria sufoco. Como não admitir que perde? Como bagunçar as peças do jogo antes do término ao entender que no final das contas você não foi esperto o suficiente para ganhar aquela ou esta partida? Como dar as costas logo após sacar a sua falta de domínio absoluto e soberano sobre os reles seres mortais? Acredito piamente que todos possuímos características dos animais.. uns são gatos, outros cachorros.. uns abelhas, outros gaviões.. assim como há os ratos, os carneiros, as vacas e as ovelhas.

E aí? Quem te conhece? Eu não. 


RS. 

Nenhum comentário: