terça-feira, 8 de março de 2011

Quem assume o lugar de John Galliano?




Mais um grande e poderoso enfant terrible abala as estruturas e os valores "mundanos" da moda. John Galliano, 50 anos, era o responsável, há 15 anos, por transformar a cara e o gosto de uma das maisons mais clássicas de todos os tempos: a Christian Dior.

Acusado de proferir insultos anti-semitas e de enaltecer a figura complexa de Hitler, Galliano foi primeiramente afastado e depois demitido da maison Dior. Já a sua marca própria, John Galliano, permanece ativa por ser fundamentada em licenças e contratos e etc e tal.


"Nós saímos de uma época de guerra, de uniformes, de mulheres-soldados, de ombros quadrados e estruturas de boxeador. Eu desenho femmes-fleurs, de ombros doces, bustos suaves, cinturas marcadas e saias que explodem em volumes e camadas. Quero construir meus vestidos, moldá-los sobre as curvas do corpo. A própria mulher definirá o contorno e o estilo."
Christian Dior



Segue os looks do desfile Christian Dior ocorrido na última sexta-feira (04/03) na semana de moda em Paris. O último da explosão John Galliano para a marca francesa responsável simbolicamente por devolver o charme, a feminilidade e o glamour às mulheres no pós-guerra. A década de 50 e o seu "new-look", até hoje vivemos dele, todos devemos a Christian Dior.




















Não teve como não ser: o show foi dramático, mais do que nunca e agora para sempre. O clima foi boêmio e jovem. Seria um sucesso de vendas, mas diante de todo o contexto, mesmo assim o será?
Natalie já abandonou a marca e quantas outras o farão?

Com ênfase nas nuances e tonalidades do azul e rosa, a tendência do momento, a mistura de materiais e texturas, foi realizada com maestria.

Quem não desejou os vestidinhos e saias de veludo em estilo western e colegial? Tradicionais, frescos e modernos ao mesmo tempo. Coisas de gênio?

E ainda teve espaço para as plumas, botas metalizadas na altura dos joelhos, estampados geométricos e florais, para o brilho do tafetá em shortinhos, a textura da renda e a sensualidade da transparência inspirada nos elementos da lingerie.
No final do desfile, cerca de 30 pessoas da equipe Dior entraram, todas vestindo branco, mostrando especialidade e gratidão. Segundo Toledano, CEO da Dior, essas sim são as pessoas fundamentais, que não medem horas ou esforços para manter a visão de Dior.

-----

Galliano até já pediu desculpas.. mas. E você? O que pensou disso tudo? E finalmente, quem ocupará o lugar de Galliano na moda? A fantasia ou a razão?


----

Post devidamente "a cara" do dia de hoje.

FELIZ DIA DAS MULHERES. Que nunca deixemos de lutar (dia após dia) pelo direito maior a que conquistamos na história: o falo da fala!

Nenhum comentário: