quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

#modaparamim RECOMENDA: About Fashion

Se tem um site/blog que eu adoro é o About Fashion, escrito por Luigi Torre. O lay é limpo e a informação é direta, clara e sem frescura. Além de resenhar super hiper bem desfiles de moda e ser subeditor de moda do site FFW, Luigi sempre mostra inspirações quentes e adora especular sobre os rumos da indústria. O seu último texto: simples e rápido (e fantástico), foi "a deixa" que aproveitei para divulgar o trabalho dele aqui no #modaparamim.


Luigi teoriza:

"É da essência da moda a busca constante pela inovação. A mudança pela simples mudança, a negação do passado, do velho, em detrimento do futuro e do novo. Durante quase todo século 20 essa lógica permaneceu inalterada em sua base, tendo como único objetivo tornar a moda vigente obsoleta o mais rápido possível.

Deu no que deu. A busca por essa velocidade máxima absurda que foi reduzindo décadas em anos, anos em semestres, semestres em bimestres resultou na própria falência dessa lógica em busca do sempre novo. Ao invés da criação de novos estilos ou modas, passou-se então a revisitar aqueles do passado. Substituiu-se a inovação pela reciclagem. Tanto que muitos teóricos que se debruçam sobre esse “fenômeno moda”, atestam sua completa incapacidade em cumprir seu papel primordial: inovar.

Talvez seja simplesmente o modo como a moda passe a operar no século 21, talvez seja apenas uma fase _o que todos esperamos. Afinal, os períodos cada vez mais curtos em que uma moda se sobrepões _sempre através da reciclagem_ à outra, acaba gerando um verdadeiro esvaziamento de significado. Pluralidade e acúmulos de estilos símbolos, signos e histórias que recicladas ad infinitum, significam nada em si próprias. São modas, estilos e tendências cada vez mais dependentes de contextos e interpretações externas em busca de alguma validade ou significado para algo que por si só, já não tem relevância alguma. Se é possível ser tudo, no fundo também se é nada.

Tomara que seja só uma fase…"

------


Assim como Luigi, venho pensando muito sobre esse processo "fast fashion" que vivemos dia após dia alimentado pela vontade exarcebada de mais produção e lucros idem. Sofro pois sei que estamos perdendo essência e desenvolvimento cognitivo diante de tanta novidade, tendências e "neos" denominações.

Observando de fora e também vivenciando a prática dentro de uma confecção, vejo que estamos perdendo o primor da qualidade e do "parar e discutir" em prol da satisfação da quantidade e da casca da publicidade, sempre colorida e atraente.

A triste verdade é que a informação que recebemos nem chega a ser processada verdadeiramente como conteúdo apreendido. Não devotamos tempo para a assimilação natural que precisamos, achamos desnecessário parar para ler e refletir.

Acredito que isso venha atrapalhando e muito o processo criativo daqueles que trabalham e vivem do criar. O resultado é a frustração e o questionamento: "o que preciso ver ou ler para ir além?", "em qual lugar se esconde o novo"?

Chego a conclusão de que o novo vem de dentro e que mais do que nunca: a pressa é inimiga da perfeição. A nossa doença? Falta de paciência.

RS.

---

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns, gostei muito das Palavras do Luigi e das suas também... =D