sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Era pra ser um tweet, mas virou um post.

O texto a seguir foi escrito sobre grandes emoções, agora. Assim sendo, resolvi quebrar o clima e ilustrá-lo (totalmente nada a ver? vamos ver.) com as minhas angels preferidas. (Direto do Victoria´s Secret Fashion Show 2010 - ocorrido no último dia 10 de novembro em NY. Tirando a presença de Kate Perry animando a festa, que para mim não tem nada de angel, tudo lindo e de babar como sempre. É nessas horas que todas as brasileiras morrem de orgulho. Adriana Lima foi a sortuda da vez e desfilou com o Bombshell Fantasy Bra, sutiã coberto de jóias e avaliado em 2 milhões de reais).




Vivemos no tempo da soberania das redes sociais. Muitas pessoas aqui passam mais horas se expressando e falando de si do que trocando experiências de contato próximo (olho no olho) e físico com pessoas ou animais. Positivo ou não, não esqueçam que a melhor propaganda e vitrine de si acaba sendo o boca a boca entre conhecidos.




Da mesma maneira que é muito fácil e rápido se divulgar para um grande número de pessoas fatos e feitos interessantes, o contrário acontece de maneira ainda mais veloz.

Cuidado com o que falam, e mais ainda, com o que fazem. Algo que você pensa que ficou ali, na verdade já pode estar em todos os cantos. E o resultado, você vai acabar ficando sabendo, e da pior maneira. Eu espero.




Digo isso porque em 2 meses, 3 máscaras caíram. E depois de bolar mil vinganças fracassadas pelo próprio projeto de execução e que a tal da raiva passa, fica a pena. E esse sentimento angustiante me deixa mais down do que a própria raiva, essa de uma forma ou de outra acaba sempre me segurando.




A pena de saber que tem gente que não cresce, tem gente que não tem cárater, tem gente que não é confiável, tem gente que nunca vai falar a verdade para você, tem gente que tem inveja de você sem nem mesmo nunca ter te conhecido, tem gente que tem inveja e te conhece muito bem, tem gente que você gosta e não gosta de você e vice-versa, tem gente que não consegue nem mesmo ficar no mesmo ambiente com você e você idem, e tem gente que vai te enganar mesmo você já sabendo disso de alguma maneira e tem gente para todo tipo de coisa nesse mundo.


Bom ou ruim? Espero que bom, mas as vezes tenho medo de perder essa crença que eu ainda tenho em gente. Mas do medo a gente já falou.. e com ele eu me entendo! E quer saber, também não acredito nessa de que todos somos iguais. Eu não sou igual a você.



E para finalizar, tem gente que a gente não quer nunca mais ver na vida. Será que pode ser?


Imagens: Reprodução / Internet

Um comentário:

Gabriel Sousa disse...

Apoiadíssima. Não vou nem comentar, você já falou tudo.