segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Lembra dos ruídos?





As vezes só tenho você para desabafar,
pestanejo e desconfio, mas venho.

Não consigo entender o porquê minha cabeça tem que martelar obsessivamente o mesmo pensamento.. ou melhor, os mesmos.
Preocupada com um problema que teoricamente não é meu e tentando entender os meus próprios problemas internos que me fazem perder o sono por firulas alheias.
O meu descontrole, ou seja lá o nome que isso tenha.

Agora acho que compreendo a loucura dessa vida adulta insana.
Bombardeados por caminhos, éticas e valores já inexistentes de gratificações.
Não tenho cara de quem deixa para lá o aqui e agora.


Ouço a todo momento o quanto é difícil relacionamentos
observo que o casamento virou festas, listas e filhos programados e mal quistos
O difícil mesmo é ser humano gente,
mas afinal, o que é SER humano para você?



Que tal inverter a ordem dos fatores
e apenas gastar um milhão de mil réis
para se comemorar
as bodas de ouro?

Faz mais sentido.

Sinto que o mundo repete frases feitas
e o pensamento já nem é mais posto em consideração..
ele é confuso, difuso e se você não o caçar com força, eu aviso:
se perde nos ruídos.
O quanto falo nesses ruídos.. escuto eles gritarem, o que posso fazer?



Pessoas se perdendo, vazias de significado
e tão cheias de significantes.
A linguagem banalizada e vendida,
promoções. Como detesto promoções!

Presa em personagens,
em histórias que nem mais sei se são minhas ou não
Hoje, agora, só mal digo a vida
ainda que a queira viver até as últimas consequências




Te vejo te espero te prometo
balela!
Quero ver mesmo é AMAR, e não apenas aguentar o trampo da convivência.

amor fati gente
minha filosofia
amem e lutem pelo destino de vocês,

e escutem o coração:
antes de qualquer outro.



Nenhum comentário: