domingo, 6 de junho de 2010

Vitrina, Imagem pessoal, Christina Bona e meus conflitos.




O Vitrina - Falando de Moda foi um sucesso! Tive o azar de perder a palestra da Roberta Braga (que deve ter sido muito boa!) e a sorte de pegar a última cadeira disponível no charmoso espaço Rachel de Queiroz, na Saraiva. Antes de começar a resenha, quero parabenizar a organização do evento que arrasou. Postura impecável!


Quando cheguei, Christina Bona (consultora de Imagem e Stylist) estava no meio da sua perfomance super criativa. Chegou vestida de um jeito "nem aí" só para mostrar a importância da imagem pessoal e os julgamentos que fazemos em 30s de primeira impressão.




Christina tem cara de menina, mas fala com autoridade e confiança de quem sempre lutou por qualificação e carrega uma bagagem de boas experiências nas costas. É formada na Católica-CE, pós-graduada em Criação de Imagem e Styling pelo SENAC e também já estudou na lendária Central Saint Martins e na London College of Fashion, onde fez cursos de Cool Hunter, Visual Merchandising, Fashion Buying e Personal Styling. Além de ser a única profissional da terrinha que é membro da AICI, Association of Image Consultants International, a maior associação de consultores de imagem do mundo.


A palestra não tinha cara de "palestra". Passou rápido, pois Christina deu exemplos e dicas reais para uma pláteia de estudantes atentos e interessados em absorver conteúdo do bom.

O que mais gostei foram as dicas de coloração pessoal. Saber se sua pele é mais quente ou fria e a importância da escolha das cores a fim de ressaltar nossos pontos positivos.

No final, Christina (com muita simpátia e bom humor) abriu para as perguntas. Eu (metida como sou) tive a audácia de arriscar duas:

1) Atualmente, observamos que a maioria dos estilistas procuram misturar vários estilos em uma mesma coleção. O que você aconselha para as suas clientes? Que elas busquem encontrar o seu estilo próprio ou que se arrisquem a utilizar vários?

Christina começou dizendo que ninguém tem apenas um estilo. Sempre possuímos um estilo dominante e devemos focar mais nesse. Ressaltou o fato de o mercado de moda de Fortaleza estar fixado em só estilo: "o carioca de ser". Ou seja, a maioria das lojas apostando nesse ar descontraído, casual e colorido característico do RJ. Dificultando a escolha daquelas mulheres que necessitam utilizar um dress code mais clássico e sóbrio.

2) Perguntei a opinião dela acerca do conflito que os estudantes de moda passam durante a vida acadêmica: estagiar ou apenas estudar?

Christina ressaltou a falta de cultura do próprio empresariado de moda da cidade que se nega a pagar bem e valorizar os estagiários e profissionais. Todo mundo tem uma história absurda para contar a esse respeito e o importante no final das contas é NÃO SE VENDER. Para ela, devemos sim estagiar quando estamos na faculdade. Pois assim podemos fazer um link interessante entre a prática e a teoria, contribuindo em sala de aula e se destacando no trabalho com inovações. Mas deu ênfase: depois que você aprender o trabalho, NÃO SE VENDA. COBRE O JUSTO.




Pronto, resolvi todos os meus conflitos!

Saí da loucura que é o iguatemi em um dia de sábado sorrindo sozinha. Feliz com o cheiro que me ativou boas lembranças da minha (já distante) adolescência e bem resolvida com as escolhas profissionais que tomei e continuo tomando nesse percurso complexo, mas fascinante que é a vida adulta.


Beijos e bom domingo!

Nenhum comentário: