sexta-feira, 30 de abril de 2010

Adeus Abril!




Vocês sentem saudades do que não viveram ou do que ainda viverão?



Eu tenho dessas. E nesses dias em que me vejo cansada da correria e das mudanças frenéticas do cotidiano, busco conforto na nostalgia da saudade.



Dos grandes movimentos, das mais belas cidades, dos mais lindos romances e até do mais impossível dos sonhos.




Hoje é 30 de Abril. Esse mês, sempre memorável, durou um ano.

Cansei da pressa, do movimento e até do cansaço. Que civilização é essa que defende a máquina em vez da natureza?



Cansei até dos meus dramas.

Me lembrei que esse é um ano de eleição. Não vamos deixar para depois, a hora é agora.



Quero mais leveza. Adeus Abril, e leve sua intensidade com você!





"Sobretudo um dia virá em que todo meu movimento será criação, nascimento, eu romperei todos os nãos que existem dentro de mim, provarei a mim mesma que nada há a temer, que tudo o que eu for será sempre onde haja uma mulher com meu princípio, erguerei dentro de mim o que sou um dia, a um gesto meu minhas vagas se levantarão poderosas, água pura submergindo a dúvida, a consciência, eu serei forte como a alma de um animal e quando eu falar serão palavras não pensadas e lentas, não levemente sentidas, não cheias de vontade de humanidade, não o passado corroendo o futuro! O que eu disser soará fatal e inteiro! (Perto do Coração Selvagem)"

Clarice Lispector






"Os átomos encontram-se eternamente em movimento contínuo, e uns se afastam entre si uma grande distância, outros detêm o seu impulso, quando ao se desviarem se entrelaçam com outros ou se encontram envolvidos por átomos enlaçados ao seu redor. Isto o produz a natureza do vazio, que separa cada um deles dos outros, por não ter capacidade de oferecer resistência. Então a solidez própria dos átomos, por causa do choque, lança-os para trás, até que o entrelaçamento não anule os efeitos do choque. E este processo não tem princípio, pois que são eternos os átomos e o vazio."

Epicuro



"o momento em que nos comprometemos, a providência divina também se põe em movimento. Todo um fluir de acontecimentos surge ao nosso favor. Como resultado da atitude, seguem todas as formas imprevistas de coincidências, encontros e ajuda, que nenhum ser humano jamais poderia ter sonhado encontrar. Qualquer coisa que você possa fazer ou sonhar, você pode começar.
A coragem contém em si mesma, o poder, o gênio e a magia.”

Goethe



O Movimento hippie tem essência contestatória aos ideais sociais vigentes e nasceu sob o slogam "Paz e Amor".

Um movimento de contracultura que defendia antes de tudo a liberdade: do pensar, sexual, comportamental. Possuíam um ideal de comunhão e proteção á natureza.

Lutavam contra as guerras, o capitalismo, militarismo e aos ideais de consumo exarcebado. A música hippie privilegiava antes de tudo a mensagem. Assim, vários estilos musicais (rock, blues, soul, jazz, folk) podem ser considerados hippie desde que possuam uma linguagem própria que difunda a filosofia do amor livre e a não violência.




O Festival de Música e Artes de Woodstock foi o maior movimento de contracultura dos anos 60 e representou o auge da era hippie.

Aconteceu em agosto de 1969 em uma fazenda em Bethel, Nova Iorque. Recebeu mais de 400 mil pessoas que de alguma maneira lutavam e acreditavam nas propostas do movimento hippie. De lá para cá, observamos constantemente a influência desse movimento nas passarelas e também na música.

A moda hippie utiliza roupas rasgadas e largas, sobreposições e jogos de volumes, mistura de estampas, materiais e cores, em tons fortes e vibrantes que incentivam a psicodelia e a viagem alucinógena das drogas




"Não se pode pensar em movimento radical, forte e vivo, onde não haja controvérsia. A unanimidade absoluta só existe nos cemitérios."

Joseph Stalin

Nenhum comentário: