segunda-feira, 1 de março de 2010

Não temos limites certos e nem devemos ter certos limites!

As águas de março pedem passagem e nós que não aguentamos mais esse calor maluco, imploramos por CHUVA!

Enquanto os estilistas do mundo todo exibem suas coleções luxuosas e cheias de sobreposições de Inverno, pensamos apenas em ficar com o minímo possível de peças de roupa no corpo!

A fantástica Olímpiada de Inverno em Vancouver infelizmente acabou! Já estava acostumada com os rostos bonitos e felizes dos canadenses torcendo.



Fiquei tonta assistindo aqueles malucos praticamente voarem nos tobogãs ultra velozes!



Fiquei impressionada com os saltos do esqui e com a concentração do Curling.



A corrida de patins no gelo era demais! Quanto equilíbrio!



Fiquei maravilhada com as coreografias e a sintonia das duplas da patinação artística no gelo!






Me diverti com os figurinos inusitados!


Mas o melhor mesmo foram os jogos de Hóckey! Futebol fica chato e monótono perante aqueles grandalhões com cara de bonzinhos disputando com seus tacos o pub.



Crosby, o grande herói Canadense, fez o gol de ouro em cima dos EUA e garantiu a festa do povo canadense.





A mensagem que fica é:



A raça humana existe para superar as barreiras do tempo e do espaço. Nascemos para produzir, para criar, para inovar. Somos seres ativos, imprevisíveis. 1 segundo faz a diferença, meio segundo também. Qualquer manifestação sincera não é bobagem.

Concentração, foco e estratégia são fundamentais para se saber viver bem.

Respeito é bom e todo mundo gosta. Devemos respeitar os outros e principalmente, devemos nos respeitar! Todos temos vidas, identidades, cultura, pontos de vista e personalidades completamente diferentes!

Diante da beleza e do poder das diferenças, como podemos viver em um mundo tão sem tolerância ao outro e até a si mesmo?

A natureza não cansa de avisar. Todos os dias assistimos e sofremos sentados com a tragédia dos outros, mas como não ter certeza de que essa tragédia também é nossa?

Estamos rompendo o início de uma nova década e esse é um bom momento para mudanças.

Observamos a globalização geral das culturas e a expansão, democratização e consequente segmentação de gosto e preferências dentro do íntimo e do todo.

Assistindo "A guerra do fogo", um verdadeiro estudo antropológico da nossa raça, percebi que não podemos deixar de lado o nosso instinto animal e agressivo. Entenda que a agressividade pode ser algo extremamente positivo e produtivo.

Chego na conclusão de que o esforço para se viver deve ser energia, e não convertido em desânimo ou limites que nós mesmos impomos. E o pior, sem nem saber.

Devemos ficar ligados! Pensar no que é e no que já não deve ser mais! Nunca culpe ninguém pelo que se é ou se tem agora!

O bom de viver é que não precisamos de justificativas para se ter certeza.


Hoje estou feliz e inspirada! Conseguindo reconhecer todos os pensamentos e sentimentos que me rondam.

Viva Vancouver, Viva a Vida, Viva a Moda, Viva vocês que estão lendo isso agora!

Boa Noite e Boa Semana!

Nenhum comentário: