quarta-feira, 4 de março de 2009

Conversado com Nietzsche

"Tudo é pecado; mesmo nossas virtudes. Reprovação absoluta do homem.
A ação desinteressada não é possível." Pecado original.
Em suma: depois de ter conduzido o seu instinto à contraposição em relação a um imaginário mundo do bem, o homem termina no autodesprezo, como incapaz de empreender
"boas" ações.

O cristianismo marca com isso um progresso na penetração psicológica do olhar:
Larochefoucauld e Pascal. Ele concebe a igualdade essencial
das ações humanas e sua igualdade de valor no que é principal
( - todas são imorais ).

O enfurecer-se contra os instintos da vida como "sagrado" e digno de veneração. A castidade absoluta, a obediência absoluta, a pobreza absoluta:
ideal sacerdotal. Esmola, compaixão, sacrifício, abjuração do belo, da razão, da sensualidade,
olhar moroso para todas as qualidades fortes que se tem: ideal-laico.

Nenhum comentário: